A GAMIFICAÇÃO DO ENSINO COMO ESTRATÉGIA PEDAGÓGICA NA APRENDIZAGEM DA LÍNGUA INGLESA

Maria Silvia Almeida de Souza França, Thiago Ribeiro Borges, Eduardo Ferro dos Santos, Marco Aurélio Alvarenga Monteiro

Resumo


Este trabalho visou investigar o uso da gamificação do ensino como elemento facilitador na aprendizagem da língua inglesa. Justifica-se pela necessidade de maior ludicidade e interatividade no ensino e a promoção da inclusão digital. A problemática questiona se o uso de jogos interativos é capaz de estimular a construção do conhecimento da língua inglesa. O objetivo visou proporcionar aos alunos uma metodologia inovadora, a fim de melhorar o ensino do inglês. Foram aplicadas uma avaliação diagnóstica e uma avaliação final para identificar o conhecimento dos alunos. Também foi elaborado um jogo, a partir do PowerPoint 2010, intitulado “Nomeando Animais” com a intenção de reforçar as questões da avaliação. A aplicação ocorreu em 3 turmas do 6º ano, totalizando 82 alunos, todos de uma escola estadual de um município do Vale do Paraíba, no estado de São Paulo. O delineamento trata-se de uma pesquisa-ação de caráter misto, quanti-quali. Os resultados indicaram um aumento significativo no índice de acertos na avaliação final após a aplicação do game, indicando maior compreensão e assimilação do conteúdo, os estudantes também pontuaram o elemento motivador e facilitador do ensino na proposta. Os dados vêm a confirmar o potencial do uso de jogos no ensino.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, F. Gamification - como criar experiências de aprendizagem engajadoras. Um guia completo: do conceito à prática. DVS Editora. SP. 2ª Ed. 2015

BRAGA, D.B. Ambientes digitais: reflexões teóricas e práticas. São Paulo: Cortez Editora, 2013.

DETERDING, S.; DIXON, D.; KHALED. R.; NACKE, L. From Game Design Elements to Gamefulness: Defining “Gamification”. 2011. Disponível em: http://www.rolandhubscher.org/courses/hf765/readings/Deterding_2011.pdf. Acesso em: 12 maio 2019.

FARDO, M. L. A gamificação como estratégia pedagógica: estudo de elementos dos games aplicados em processos de ensino e aprendizagem. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, p.104, 2013. Disponível em: . Acesso em: 07 maio 2019.

FERNANDES, C. W. R; RIBEIRO, E. L. P. R. Games, gamificação e o cenário educacional brasileiro. In: Congresso Internacional de Educação e Tecnologias e Encontro de Pesquisadores em Educação à Distância. 2018. Disponível em: . Acesso em: 11 mai. 2019.

FINARDI, K. R.; PORCINO, M. C. Tecnologia e metodologia no ensino de inglês: impactos da globalização e da internacionalização. Ilha Desterro, Florianópolis, n.66, p. 239-283, 2014. Disponível em: . Acesso em: 06 maio 2019.

FRANCO, M. A. S. Pedagogia da Pesquisa-Ação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p.483-502, 2005. Disponível em: . Acesso em: 25 abr. 2019.

GEE, J. P. Bons videogames e boa aprendizagem. Revista Perspectiva, Florianópolis, v. 27, nº 1, p. 167-178, jan./ jun. 2009. Disponível em http://www.perspectiva.ufsc.br. Acesso em 11 mai. 2019.

KAPP, K. The gamification of learning and instruction: game-based methods and strategies for training and education. Pfeiffer, 2012.

MARTINS, C.; GIRAFFA, L. M. M. Gamificação nas práticas pedagógicas em tempos de cibercultura: proposta de elementos de jogos digitais em atividades gamificadas. In: XI Seminário SJEEC. 2015. Disponível em: . Acesso em: mai. 2019.

MCGONICAL, J. A realidade em jogo: por que os games nos tornam melhores e como eles podem mudar o mundo. Rio de Janeiro: Best Seller, 2012.

MONSALVE, E. S. Uma Abordagem para Transparência Pedagógica usando Aprendizagem Baseada em Jogos. Tese (Doutorado em informática). PUC-Rio, 2014. Disponível em: . Acesso em: 12 maio 2019.

NASCIMENTO, C. E. R. O jogo na aula de língua estrangeira: espaço aberto para manifestação do eu. Alfa , v. 52, p. 149-156, 2008.

PICHETH, S. F.; CASSANDRE, M. P.; THIOLLENT, M. J. M. Analisando a pesquisa-ação à luz dos princípios intervencionistas: um olhar comparativo. Educação, Porto Alegre, v.39, n.esp., 2016. Disponível em: . Acesso em: 25 abr. 2019

PRENSKY, M. Digital natives, digital immigrants. Part 1. On the Horizon, v. 9, n. 5, p. 1-6, 2001.

____________.The motivation of gameplay: the real twenty-first century learning revolution. On the Horizon, v. 10, 2002.

RODRIGUES, C. A.; VALADARES, M.G.P. Princípios de aprendizagem de jogos eletrônicos: gameficando a aula de línguas. Revista Horizontes de Linguística Aplicada, v. 12, p. 41-61, 2013.

SEIXAS, R.; GOMES, S.; MELO, E. Effectiveness of Gamification in the Engagement of Students. Computers in Human Behavior, 58, 2016, p.48-63. Disponível em < http://dx.doi.org/10.1016/j.chb.2015.11.021>. Acesso em 20 de maio de 2019.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 443-466, 2005. Disponível em: . Acesso em: 25 abr. 2019.

ZICHERMANN, G.; CUNNINGHAM, C. Gamification by Design: Implementing Game Mechanics in Web and Mobile Apps. Canada: O’Reilly Media, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.