ADUBAÇÕES ALTERNATIVAS E PODA APICAL: ESTRATÉGIAS DE TRANSIÇÃO AGROECOLÓGICA NA PRODUÇÃO DE QUIABO

Antonio Wagner Pereira Lopes, Cesar Augusto Feliciano, Cesar Giordano Gêmero, Vera Lúcia S. B. Ferrante

Resumo


A legislação que regulamenta a produção de alimentos orgânicos proíbe a utilização de adubos químicos. A agricultura orgânica deve utilizar-se de alternativas de adubação que respeitem os princípios estabelecidos por lei e promovam uma maior sustentabilidade dos agroecossistemas. O objetivo deste trabalho é apresentar as alternativas orgânicas de adubação em substituição aos insumos químicos, suas características, formas de aplicação e seus resultados. A metodologia foi uma experiência conduzida em canteiro de quiabo na horta experimental da Fazenda Escola da Universidade de Araraquara – UNIARA. Estes testes foram reproduzidos em lotes de agricultores e disseminados entre eles. A realização dos procedimentos descritos ocorreu entre os meses de julho a novembro de 2017 sendo utilizada a adubação orgânica: esterco bovino, compostagem, biofertilizante Vairo, biofertilizante Supermagro e avaliação de indicadores como: quantidade de frutos, tamanho e peso em quatro diferentes épocas de colheitas do quiabo. Os dados analisados foram transformados em porcentagem por parcela e colheita, revelando que a adubação com o Supermagro mostra o maior tamanho do fruto com 19.5%, o peso do fruto adubado com esterco bovino+poda apical foi de 17.7% e 96 frutos, dados significativos demonstradores das perspectivas da transição agroecológica.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTIERI, M. A; NICHOLLS, C. I. Un método agroecológico rápido para la evaluación de la sostentabilidad de cafetales. Manejo integrado de plagas y Agroecologia, Costa Rica, V. 64, p. 17-24, 2002.

ASSIS, L.; ROMEIRO, A. R. Agroecologia e agricultura: controvérsias e tendências, Desenvolvimento e Meio Ambiente, n. 6, p.67-80, jul./2002. Editora UFPR.

BETTIOL, W. et al. Controle de doenças de plantas com biofertilizantes. Jaguariúna: EMBRAPA-CNPMA, 1998. 22p.

CAPORAL, F. R.; COSTABEBER, J. A.; PAULUS, G. Agroecologia: uma ciência do campo da complexidade. Brasília – DF. 2009. 111 p.

CARNEIRO, M. A. C.; et al. Atributos físicos, químicos e biológicos de solo de Cerrado sob diferentes sistemas de uso e manejo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v.33, p.147-157, 2009.

DINIZ FILHO, E. T., et al. A prática da compostagem no manejo sustentável de solos.

Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 2, n. 2, p. 27-36,2007.

GLIESSMAN, S. R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. 2. ed. Porto Alegre: UFRGS, 2005. 653 p.

KAMIYAMA, A., et al. Percepção ambiental dos produtores e qualidade do solo em propriedades orgânicas e convencionais. Bragantia, v. 70, n. 1, 2011.

KIEHL, Edmar José. Manual de Compostagem. Maturação e Qualidade do Composto. Piracicaba, 1998.

LOSS, A. Frações orgânicas e agregação do solo em diferentes sistemas de produção orgânico. Frações orgânicas e agregação do solo em diferentes sistemas de produção orgânico, 2008.

MARROCOS, S. T. P DE. Composição de biofertilizante e sua utilização via fertirrigação em meloeiro. 2011. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal Rural do Semi-Árido – Mossoró/RN. Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia.

MOTA, W. F.; FINGER, F. L.; CASALI, V. W. D. Olericultura: melhoramento

genético do quiabeiro. Viçosa: UFV, Departamento de Fitotecnia, 2000. 144 p.

PRIMAVESI, A. Cartilha do solo. São Paulo: Fundação Mokiti Okada, p. 177, 2006. RAIJ, B. V; Recomendações de adubação e calagem para o Estado de São Paulo. Campinas: IAC, 1985. 107p. (Boletim Técnico, 100).

SOUZA, J. L. de; RESENDE, P. Manual de horticultura orgânica. Aprenda Fácil, Viçosa, 2006.

TOMITA, C.K. Manejo em sistemas orgânico e convencional: epidemiologia e controle de doenças em culturas de goiaba, gipsofila e pupunha. 2009. Tese de Doutorado. Universidade de Brasília – Brasília. Programa de Pós-Graduação em Fitopatologia.

VERAS, L. DE., et al. Indicadores de qualidade do solo em sistemas de cultivo orgânico e convencional no semi-árido cearense. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 31, n. 5, 2007.

XAVIER, F. A. S. DA., et al. Biomassa microbiana e matéria orgânica leve em solos sob sistemas agrícolas orgânico e convencional na Chapada da Ibiapaba-CE. Rev. Bras. Cienc. Solo, v. 30, n. 2, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.