Análise do Tratamento de Pacientes com Transtornos Mentais Graves ou Persistentes na Cidade de São Carlos (SP)

Tatiane Fernandes Zambrano Brassolatti, ALEXANDRE RODRIGO FERREIRA, José Henrique de Andrade, Marcela Avelina Bataghin Costa, Bruna Fernanda Bulhões, Ana Genari

Resumo


A Política Nacional de Saúde Mental busca consolidar um modelo de atenção aberto e de base comunitária, sua proposta é garantir a livre circulação das pessoas com transtornos mentais pelos serviços de saúde, pela comunidade e pela cidade. O objetivo desse artigo é identificar as não-conformidades no atendimento dos pacientes, com transtornos mentais graves ou persistentes e seus familiares, do Centro de Atenção Psicossocial II (CAPS II), da cidade de São Carlos (SP) e propor melhorias. O método de pesquisa utilizado foi o estudo de caso. Infelizmente, concluiu-se que o atendimento a estes pacientes e familiares requer melhorias significativas. As principais sugestões são: implementar uma rotina de treinamentos para os profissionais, melhorar a forma de encaminhamento destes pacientes para o CAPS II, conscientizar os familiares quanto aos transtornos mentais e propiciar o envolvimento destes durante o tratamento e adequar a estrutura física. Atualmente, o prédio não comporta as atividades previstas por lei, além de possuir goteiras.


Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério da Saúde (2002). Portaria nº 336 em 19 de fevereiro de 2002. Ministério da Saúde, Brasília, 2002.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) . Acesso em: 28 Mar 2017 às 16h30min.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.