ANÁLISE DA SEXUALIDADE E BULLYING EM AMBIENTE ESCOLAR: comportamentos e percepções

Carlos Felipe De Oliveira Silva, Elizangela Geraldina Fraga

Resumo


O presente estudo tem como objetivo analisar os comportamentos e percepções de bullying homofóbico no ambiente escolar de duas (2) escolas públicas do município de Guarulhos/SP. Para ilustrar e fundamentar o tema proposto, utilizou-se trabalho de campo, entrevistas com membros da comunidade escolar, pesquisa bibliográfica - com caráter multidisciplinar, que contou com a contribuição de estudos do ponto de vista teórico da educação e psicologia social.  A conclusão do estudo resulta no reconhecimento de que há, no âmbito das organizações estudadas, uma preocupação quanto ao bullying homofóbico, mas, que a formação pedagógica ainda não se alertou para essa complexa dinâmica de casualidades que urge atenção por parte de toda comunidade acadêmica – escola, família, comunidade.


Texto completo:

PDF

Referências


Referências

BEANE, A.L. Proteja seu filho do bullying. Rio de Janeiro, Best Seller, 2010.

BOURDIEU. P. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

BUTLER, J. Problemas de gênero e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CAMARGO, C.G. Brincadeiras que fazem chorar: introdução ao fenômeno bullying. São Paulo: All Print, 2009.

CALHAU, L.B. Bullying: o que você precisa saber: identificação, prevenção e repressão. Niterói: Impetus, 2009.

CANDAU, V.M. Somos todos iguais? Escola, discriminação e educação em direitos humanos. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

COSTA, M. M. R. D. Sistema de informação para a administração municipal: o caso da AMAVI - Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí. Florianópolis. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa Catarina. 1993.

CONSTANTINI, A. Bullying: como combate-lo, prevenir e enfrentar a violência entre os jovens. São Paulo: Nova Itália, 2004.

FANTE, C. Fenômeno bullying: como prevenir a violência e educar para a Paz. Campinas: Versus, 2005.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1978.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M.de A. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

LEÃO, L.G.R. O fenômeno bullying no ambiente escolar. Revista FACEVV, Vila Velha, n. 4, jan./jun. 2010. Disponível em: http://www.facevv.edu.br/Revista/04/O%20FEN%C3%94MENO%20BULLYING%20NO%20AMBIENTE%20ESCOLAR%20-%20leticia%20gabriela.pdf. Acesso em 10 Abr. 2015.

LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONAL. Lei nº 9394 de 20 de dezembro de 1996. Disponível em http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf.ldb.pdf. Acesso em 10 Jul. 2015.

LOURO, G.L. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: Ed. Pedagógica e Universitária, 1986.

MEYER, D. E.; SOARES, R. F.R. Corpo, gênero e sexualidade nas práticas escolares: um inicio de reflexão. In:_________. Corpo, gênero e sexualidade. Porto Alegre: Mediação, 2004. p. 5-16.

MORENO, M. Como se ensina a ser menina: o sexismo na escola. São Paulo: Moderna, 1999.

PINTO, C.J. Uma história do feminismo no Brasil. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2003.

PUPO, K. R. Violência moral no interior da escolar: um estudo exploratório das representações do fenômeno sob a perspectiva de gênero. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Educação. USP, São Paulo, 2007.

SCAVONE, L. Dar a vida e cuidar da vida: feminismo e ciências sociais. São Paulo: Ed. Unesp, 2004.

SILVA, A.B.B. Cartilha: bullying e justiça nas escolas. São Paulo. Brasília, DF: Conselho Nacional de Justiça, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.